Análise SWOT: guia completo para decisões estratégicas

Saiba tudo sobre análise e matriz SWOT, como fazer, para quê serve e como ela pode ajudá-lo neste guia completo

Tomar decisões a partir da avaliação de fatores internos e externos em sua empresa é muito importante, pois permite que identifique o momento certo de realizar suas ações. É exatamente para este fim que você deve aprender tudo sobre o que é análise SWOT e como fazer.

Neste guia completo ensinamos tudo que você precisa saber sobre esta estratégia, incluindo como formular a matriz SWOT.

Descubra como esta ferramenta é pode fazer a diferença em seus processos de tomada de decisão e planejamento estratégico daqui para frente.

O que é análise SWOT

Como mencionado, a análise SWOT é uma ferramenta de gestão e planejamento estratégico que auxilia na avaliação de quatro pilares, como indicam cada letra no acrônimo em inglês:

  1. Strengths - Forças

  2. Weaknesses - Fraquezas

  3. Opportunities - Oportunidades

  4. Threats - Ameaças

Esta ferramenta foi criada por Albert S. Humphrey, responsável por utilizá-la em um projeto do instituto de pesquisa de Stanford, em 1960. Mas claro, desde esta data até então, diversas atualizações foram realizadas para adequar a análise ao mercado e mantê-la atualizada. Em português, ela também é conhecida como análise FOFA.

Sobre os quatro pilares, é importante dividir estes conjuntos de dados entre fatores internos e externos.

Os dois fatores internos avaliados através de uma análise SWOT são as forças e fraquezas de seu negócio, enquanto os fatores externos são as oportunidades e threats.

Matriz SWOT

Como executar uma análise SWOT

Agora que você sabe diferenciar fatores internos e externos, está na hora de aprender qual é o passo a passo para utilizar esta ferramenta:

  1. Coletar informações sobre forças e fraquezas (fatores internos);

  2. Coletar informações sobre oportunidades e ameaças (fatores externos);

  3. Estabelecer o relacionamento entre as informações e criar a Matriz SWOT;

  4. Elaboração do plano de ação;

Falamos sobre cada uma dessas etapas individualmente ao decorrer do conteúdo. Vale reforçar que as etapas de coleta de informação são absolutamente cruciais para que você tenha assertividade em sua análise.

1. Fatores internos: forças e fraquezas

Suas forças e fraquezas remetem às estratégias, processos, produtos e serviços oferecidos por sua empresa.

Uma das melhores formas de identificá-las é através de sessões de brainstorming com membros das equipes de cada setor envolvido no processo de tomada de decisão - o que também deve envolver o operacional.

Afinal, quem melhor que aqueles na linha de frente para falar sobre a eficiência de seus processos ou sobre a percepção dos clientes.

Além disso, o feedback de seus consumidores também é uma excelente fonte de informação para avaliar suas forças (e fraquezas).

A partir disso, você deve criar duas listas, uma na qual constam todas as suas forças e outra com as suas fraquezas.

É importante então priorizar essas informações - listas muito extensas podem tornar a análise SWOT muito complexa, e listas pequenas demais podem não conter dados o suficiente para que ela seja assertiva. O recomendado é que cada lista tenha 5 elementos.

2. Fatores externos: oportunidades e ameaças

As oportunidades e ameaças são fatores que você não tem realmente como controlar diretamente, pois estão relacionados diretamente ao mercado.

Porém, isso não significa que eles não estejam relacionados às suas forças e fraquezas, muito pelo contrário, como você verá quando apresentamos a matriz SWOT.

Para que possa coletar informações sobre fatores externos, utilize fontes como jornais, pesquisas, avaliações de especialistas em sua área de atuação e, essencialmente, acompanhe o crescimento ou queda no mercado.

Aqui, você também deverá criar as duas listas para oportunidades e ameaças e priorizá-las.

Uma excelente forma de priorizar fatores externos é através de uma análise PEST, que te permite identificar fatores Políticos, Econômicos, Sociais e Tecnológicos que podem influenciar seu negócio.

Além disso, as 5 forças de Porter (concorrência, poder de clientes e compradores, novos concorrentes e produtos substitutos) podem ajudá-lo nessa tarefa de priorização.

3. Como criar a matriz SWOT

Com suas quatro listas organizadas em mãos, está na hora de aprender como criar sua matriz SWOT - o processo central dessa ferramenta de gestão estratégica.

Estabelecer o relacionamento entre fatores externos e internos

Após a coleta de dados, será necessário fazer um cruzamento de informações para que você possa determinar qual o grau de relação elas têm entre si. Para isso, o ideal é classificá-las da seguinte forma:

A partir disso, será possível criar diferentes tipos de matrizes de acordo com cada relacionamento.

Tabelas de relacionamentos

Matrizes de crescimento

As matrizes de crescimento são, como o próprio nome indica, elaboradas para que possa estabelecer ações que permitem seu negócio crescer. São elas:

A partir de cada uma dessas matrizes SWOT, você poderá começar a retirar informações que o ajudarão a formular um plano de ação para crescimento. Mas antes, é importante também realizar avaliações de sustentabilidade.

Matrizes de sustentabilidade

Matrizes de sustentabilidade existem para ajudá-lo a entender quais são os elementos, processos e fatores já existentes que você pode fortalecer ou deve potencializar para manter seu negócio competitivo. São elas:

4. Elabore seu plano de ação

O último passo da análise SWOT é transformar os resultados obtidos a partir das matrizes geradas em um plano de ação estratégico.

Mas atenção, vale mencionar que essa análise pode, muitas vezes, indicar exatamente que talvez este não seja o momento certo para sua empresa dar um passo em direção à estratégia estabelecida.

De qualquer forma, abstrair os dados das matrizes é simples: basta identificar os relacionamentos e então considerar como você pode atingir os objetivos para cada um dos pilares da seguinte forma:

Para exemplificar: se uma das ameaças identificadas for uma queda iminente nas vendas para o mercado na qual sua empresa está inserida, ter uma estrutura de custos enxuta pode ser uma excelente forma de combater esta ameaça e sustentar-se durante a crise.

Essa informação seria obtida exatamente a partir da matriz de proteção, como apontamos acima. É claro, os resultados e planos de ação irão variar de negócio para negócio.

Benefícios da análise SWOT

Agora podemos falar diretamente sobre os principais benefícios de trabalhar com essa estratégia em seu próprio negócio.

Melhorar a gestão a partir dos fatores internos

O primeiro grande benefício é que essa ferramenta te apresenta a oportunidade de avaliar mais a fundo o desempenho de seus setores e a efetividade dos atuais processos internos.

A coleta de informações sobre suas forças e fraquezas já consegue, por si, ajudá-lo a perceber o que precisa ser melhorado para que seja possível impulsionar os resultados de sua empresa.

Ampliar a visão externa ao seu negócio

Assim como é possível olhar para dentro, a busca por ameaças e oportunidades te permite identificar onde sua empresa se situa em relação aos seus concorrentes e ao mercado como um todo.

Isso é uma excelente oportunidade para realizar comparativos e identificar se o seu negócio realmente será capaz de manter-se competitivo de acordo com os fatores reconhecidos no ambiente externo.

Tomar decisões com assertividade

Por fim, o objetivo principal da análise SWOT é exatamente ajudá-lo a tomar decisões mais assertivas, com base em informações concretas a partir de uma visão 360º de seu próprio negócio.

E como mencionamos anteriormente, uma das grandes vantagens dessa prática é poder identificar se este realmente é o momento certo ou não para colocar em prática uma ideia que você estava cultivando.

Aprendeu a fazer uma análise SWOT?

Esperamos que este guia completo tenha sido útil para ajudá-lo a entender exatamente o que é esta ferramenta, como criar sua matriz SWOT e porquê é importante tomar decisões de forma estratégica, baseadas em dados que envolvem não apenas o ambiente interno, mas também fatores externos que afetam seu negócio.

Por fim, lembre-se que a coleta de informação é crucial e, para isso, não deixe de alavancar o bom atendimento ao cliente e solicitar feedback de seus próprios clientes.

Para isso, considere utilizar um canal de atendimento moderno que poderá ajudá-lo a fortalecer seu relacionamento e converter mais visitantes - confira os diferenciais do JivoChat e instale o chat online gratuitamente em sua página agora mesmo.

2020/01/15

Se gostou deste artigo, também pode gostar destes ...

Dicas para ecommerce, conversão e atendimento