15 formas de posicionar um Ecommerce no Google

Descubra como aparecer na primeira página das pesquisas nos buscadores

O tráfego orgânico é diferente de qualquer outra fonte de tráfego de marketing. Todo visitante do site é gratuito e toda sessão gratuita é uma venda em potencial.

Ao contrário das campanhas pagas na pesquisa ou nas redes sociais, os usuários orgânicos não têm custos de marketing imediatos.

No entanto, na maioria das vezes, muitos varejistas on-line ficam presos em um padrão de retenção para o crescimento do SEO no comércio eletrônico.

Eles não sabem como criar páginas de destino que atraem tráfego de alta qualidade e apresentam bom desempenho na pesquisa.

Ao contrário do tráfego pago, aumentar sua visibilidade organicamente não é tão simples quanto aumentar seu orçamento de publicidade.

Se você sente que está enfrentando uma barreira para os tipos de SEO de comércio eletrônico eficazes que pode criar, este artigo irá ajudá-lo.

Siga este guia e fatalmente irá aumentar o potencial de classificação do seu site. Isso deve fornecer uma linha de base para revisar seu site e identificar onde você deve concentrar seus esforços este ano e além.

Antes de você começar

Desenvolvemos este relatório com base em nossas opiniões estratégicas de mercado, orientadas pelos desenvolvimentos atuais, melhores práticas e dados.

O que funciona para o setor como um todo pode não funcionar no seu site, e não podemos prometer que você verá ganhos positivos, mesmo se implementar todas as alterações.

Quaisquer alterações feitas no seu site devem ser feitas com cuidado. Dessa forma, você pode ver o que funciona para você - e o que não funciona - e poder adaptar sua estratégia antes que qualquer alteração se torne permanente.

1. Deixe os mecanismos de pesquisa lerem as análises

Uma maneira de atrair novos clientes e aumentar sua visibilidade é com conteúdo informativo exclusivo nas páginas dos seus produtos.

Se você tiver centenas de páginas de produtos, poderá ter a largura de banda para criar constantemente novo conteúdo.

Uma opção para desenvolver um fluxo constante de novo conteúdo é com recomendações e análises de produtos.

Seus clientes enviam comentários e atuam como vendedores para convencer outros a se converterem.

Quase 90% dos clientes confiam nas avaliações on-line e nas recomendações pessoais de amigos ou familiares, o que significa que algumas análises podem ajudar bastante a aumentar sua taxa de conversão.

Destacar essas análises em seu site é excelente para os usuários, mas também para seus esforços de SEO de comércio eletrônico.

As análises ricas em conteúdo fornecem novas atualizações para suas páginas, algo que o Google recompensa e aprimora o contexto necessário aos rastreadores para entender por que eles devem mostrar seu produto em um resultado de pesquisa em vez de em um de seus concorrentes.

Infelizmente, algumas das ferramentas mais populares de revisão de produtos exibem esse conteúdo valioso e rico de uma maneira que os mecanismos de pesquisa não conseguem ler.

Com essas ferramentas, as revisões são injetadas em sua página via JavaScript e o texto da revisão real não está presente no código-fonte.

Embora o Google esteja melhorando no entendimento dessa codificação complexa, ela não é perfeita.

Se os rastreadores de pesquisa tiverem dificuldade em entender seu JavaScript, ele será totalmente ignorado.

Ao criar uma plataforma de reviews, escolha uma que incorpore o conteúdo da revisão diretamente no HTML do seu site.

Isso garante que usuários e mecanismos de pesquisa possam ler essas recomendações, melhorando sua lista de palavras-chave de cauda longa e aumentando seus leads de tráfego qualificados.

2. Crie meta-descrições dinâmicas

A meta descrição aparece diretamente abaixo do título da página nos SERPs. O Google não lê o que você escreve na meta descrição, mas seus clientes fazem.

Além do título e do URL, são as únicas informações que eles têm no seu site antes de decidirem se você recebe ou não o clique.

Para sites de comércio eletrônico que oferecem milhares de produtos que geralmente são substituídos sazonalmente, encontrar um meio de escrever meta descrições atraentes em escala é um desafio.

Algumas empresas investem o tempo criando uma descrição exclusiva para cada página, mas isso não é possível se você é uma pequena empresa ou um grande varejista de loja de departamento.

Os SEOs inteligentes usam “Esquemas de concatenação” e estabelecem um conjunto de regras para automatizar a criação de meta descrições e gerar conteúdo exclusivo.

Este é um pequeno pedaço de código que usa um conjunto predeterminado de regras para escrever descrições relevantes automaticamente.

Por exemplo, a regra a seguir pode ser escrita para o varejista de fotografia:

Compre o NOME DO PRODUTO na MARCA. A MARCA fornece SUBCATEGORIA e CATEGORIA para todos os entusiastas da fotografia e da eletrônica.

Em ação, a descrição do produto fica assim:

Compre Canon EOS Rebel na B&H Fotografias. A B&H Fotografias fornece câmeras DSLR e câmeras digitais para todos os entusiastas da fotografia e da eletrônica.

Em vez de levar dias ou semanas para atualizar uma categoria, esse esquema permite que você atualize todo o site automaticamente.

Com um pouco de teste, você poderá encontrar uma descrição que melhore suas taxas de cliques orgânicos.

3. Mantenha suas descrições de produtos exclusivas

Juntamente com as meta descrições, você deseja garantir que as descrições de seus produtos também sejam únicas.

O conteúdo exclusivo tornou-se uma prioridade depois que o Google lançou o algoritmo Panda, que se concentra na promoção de conteúdo de alta qualidade relevante para os usuários.

O objetivo também era penalizar o conteúdo duplicado que foi descartado de outras páginas.

Uma das primeiras etapas para aumentar seus esforços de SEO no comércio eletrônico é identificar qualquer conteúdo nas páginas dos seus produtos que contenham cópia duplicada, principalmente as páginas com a mesma descrição dos produtos oferecidos por concorrentes ou fabricantes.

Depois de identificar o conteúdo duplicado, reescreva-o do zero.

Isso torna seu conteúdo único em comparação aos concorrentes, e descrições bem escritas fornecem ao Google um contexto adicional sobre o que você está vendendo, aumentando a probabilidade de que eles mostrem seu produto para pesquisas relevantes.

Se você precisar priorizar seu conteúdo e ter uma lista aparentemente interminável de descrições de produtos à sua frente, crie primeiro o conteúdo para a sua margem mais alta e os produtos mais vendidos.

Em seguida, desenvolva uma estratégia para substituir descrições duplicadas em fases ou à medida que novos produtos sejam adicionados à sua programação.

Eventualmente, você converterá todo o site para as novas descrições.

4. Somente indexe uma versão do seu domínio

Por falar em conteúdo duplicado, você deseja garantir que haja apenas uma cópia de qualquer página em seu domínio.

Infelizmente, não é incomum que empresas, mesmo grandes, tenham seu site inteiro duplicado.

Isso geralmente acontece quando um site tem uma “www” ativa e uma “versão não www”, como uma página que começa com “http”.

Quando você tem vários sites duplicados, suas páginas competem entre si na pesquisa, e os concorrentes com apenas uma página para um determinado produto irão surpreender você.

As páginas duplicadas geralmente ocorrem quando os subdomínios não são bloqueados pelos arquivos Robots.txt, colocados atrás de uma parede de login protegida por senha ou redirecionados para a página principal da www.

Os rastreadores de mecanismo de pesquisa encontram as páginas duplicadas e dividem o patrimônio entre as classificações.

Em vez de uma página receber 100% do valor, duas páginas recebem 50%.

Existem várias etapas que você pode seguir para identificar se você tem várias versões do seu domínio indexadas:

Rastreie na sua página da Web usando uma ferramenta como SEMRush.

Revise os dados do Google Analytics para páginas de destino orgânicas para ver se subdomínios indesejados são exibidos.

Pesquise o índice do Google no seu site usando modificadores avançados, como “site: meusite.com,br -inurl: www” para exibir todas as páginas indexadas no site que não estão localizadas no subdomínio www.

Idealmente, você bloqueará as páginas duplicadas antes de criá-las, mas se as notar no seu índice, atualize o robots.txt o mais rápido possível.

Algorítmo do Google

5. Adicione elementos de paginação às páginas de categoria

Nas páginas de categoria com milhares de produtos, a última coisa que você deseja é forçar os usuários a carregar tudo de uma só vez e rolar pelas listagens até encontrar o que desejam.

A maioria dos sites de comércio eletrônico resolve isso dividindo a categoria em páginas facilmente digeríveis com apenas uma parte das listagens, geralmente com 25 a 50 itens por página.

Embora isso seja ótimo para a experiência do cliente, pode ter um impacto negativo no seu SEO de comércio eletrônico, pois o Google não tem certeza de qual página de categoria exibir para os usuários nos resultados de pesquisa.

A adição de elementos de paginação SEO com as tags “rel = next” e “rel = prev” informa ao Google e a outros mecanismos de pesquisa como as páginas estão relacionadas.

Desenvolvedores de web inteligentes também oferecem aos usuários a opção de visualizar todas as listagens em uma página.

Se você decidir adicionar a opção às suas páginas de comércio eletrônico, siga as regras canônicas descritas pelo Google para evitar confusão e penalidades pelos rastreadores de pesquisa.

6. Priorize a velocidade

Após julho de 2018, a velocidade se tornou um de classificação nos resultados de pesquisa para celular do Google.

Além de impactar o SEO do seu comércio eletrônico, a velocidade do site afeta significativamente a experiência do usuário.

Um aumento médio da velocidade do site para celular em um segundo pode aumentar sua taxa de rejeição em 8,3%, diminuir sua taxa de conversão em 3,5% e diminuir as visualizações de página em 9,4%.

As práticas recomendadas do Google dizem que uma página deve carregar em menos de quatro segundos e, quanto mais rápido o seu site se tornar, melhor.

Os especialistas em SEO precisam identificar e corrigir rapidamente qualquer coisa que diminua a velocidade da sua página.

Comece monitorando a taxa de rejeição, o tempo de carregamento e o tempo no site para entender a integridade da velocidade do site.

Você também pode usar ferramentas gratuitas, como Page Speed Inshigts, para identificar gargalos na velocidade da página.

7. URLs canônicos

Os sites de comércio eletrônico têm alguns dos URLs mais longos e confusos que você encontra online.

Quanto maior a loja, pior fica, pois a inclusão de parâmetros nos sistemas de pesquisa e navegação pode adicionar milhões de URLs exclusivos com base em caminhos de clique.

Não é incomum ver grandes varejistas com até 1.000 variações de URL para um único produto.

Graças à funcionalidade de pesquisa, esse resultado geralmente é inevitável, pois a última coisa que você deseja fazer é impedir que seu cliente encontre os produtos que procura.

Infelizmente, esse cenário é problemático para varejistas e marcas, pois desperdiça o tempo do Google enquanto os rastreadores rastreiam e indexam todas as versões do URL.

Se esse for o caso da sua empresa, elimine o inchaço do índice usando tags canônicas e também com a ferramenta de exclusão de parâmetros do Google.

8. Profundidade da arquitetura de categorização

Reduzir a profundidade da arquitetura do seu site pode aumentar a classificação das páginas principais da categoria, consolidando o patrimônio do site.

Geralmente, a melhor prática do SEO para comércio eletrônico é construir uma arquitetura mais horizontal que limite a profundidade das páginas que o Google precisa absorver para encontrar e isolar categorias.

No Ecommerce, não é incomum ver uma arquitetura que parece durar para sempre, como:

Casa> Categoria> Subcategoria> Família> Marca> Produto

Embora essa arquitetura granular faça sentido para seus produtos, ela enterra as páginas de categorias menores, pois cada vez que você cria uma nova ramificação, diminui a probabilidade de o Google atribuir qualquer valor a essa página.

O desenvolvimento de uma arquitetura de site superficial, com a maioria das páginas localizadas apenas uma ou duas subcategorias fora do domínio principal, aumenta o valor que o Google atribui a cada página.

9. Produtos descontinuados com índice

Quando seus produtos esgotam, você provavelmente configura uma página de erro 404 no site, o que significa que a página não existe mais.

Isso significa que os navegadores não encontrarão nenhuma informação se tentarem navegar no site ou visitar a página por meio de um link existente.

Infelizmente, essas 404 páginas geralmente são vinculadas por fontes internas e externas e prendem os rastreadores do Google que ficam confusos com muitos redirecionamentos ou becos sem saída.

Em vez disso, reduza 404 páginas, estabelecendo um processo para remover rapidamente a página antiga do índice do Google.

Você também pode redirecionar automaticamente os usuários para a categoria, marca ou página de família, para que eles possam continuar navegando, mesmo que esse produto específico não esteja disponível.

10. Impulsione sinais sociais

As interações nas mídias sociais ajudam a impulsionar a pesquisa de marca, aumentam a visibilidade e ajudam as empresas a desenvolver uma comunidade de fãs ativos online.

Embora não haja correlação direta entre as mídias sociais e o SEO do comércio eletrônico, as mídias sociais podem ser uma poderosa fonte de tráfego que aponta os rastreadores sociais para a saúde e o valor do seu site.

Mais importante, porém, as mídias sociais oferecem outra oportunidade de alcançar e interagir com seus usuários.

As contas do Facebook, Twitter e Instagram oferecem maneiras de responder perguntas e mostrar o lado humano do seu negócio.

As empresas de comércio eletrônico mais bem-sucedidas nas mídias sociais são aquelas que realmente se conectam com os clientes e fornecem valor real on-line.

11. Utilize Sitemaps dinâmicos

Uma das maiores oportunidades do SEO para comércio eletrônico está em palavras-chave de cauda longa.

Essas consultas de pesquisa geralmente têm quatro ou mais palavras e não possuem um grande volume de pesquisa.

O que eles carecem de volume compensam em receita, pois esses termos geralmente têm uma taxa de conversão mais alta porque os clientes que os usam geralmente estão mais próximos de fazer uma compra.

A segmentação adequada de palavras-chave de cauda longa geralmente requer a criação de conteúdo dentro da estrutura do site.

Embora estas páginas possam ter as respostas exatas que seus clientes estão procurando, o Google precisa localizá-las e rastrear para atribuir valor aos resultados da pesquisa.

Uma maneira de tirar proveito dos termos de pesquisa de cauda longa é com os sitemaps dinâmicos.

Sitemaps dinâmicos são arquivos XML gerados automaticamente que descrevem todos os URLs do seu site em um formato que facilita o Google.

Na Webtrends, por exemplo, usamos o Yoast SEO que gera estes sitemaps dinamicamente.

Essencialmente, você está dando dicas de mecanismos de pesquisa sobre como suas páginas são armazenadas e classificadas para facilitar o trabalho delas durante o rastreamento.

Criar um mapa do site dinâmico é bastante fácil, mas a manutenção não é.

É fácil para os sitemaps de comércio eletrônico ficarem desatualizados, com URLs quebrados ou até mesmo com URLs ausentes quando compartilhados com os rastreadores de pesquisa.

Marketing Digital e SEO

12. Invista em SEO local

Você tem lojas físicas e presença no comércio eletrônico? A criação de páginas locais pode gerar melhorias substanciais no SEO do comércio eletrônico.

Os resultados locais aparecem quando um usuário geograficamente próximo à sua loja procura produtos ou serviços que você oferece.

Os clientes em potencial podem aprender seu horário de funcionamento, instruções para sua localização e quaisquer ofertas ou eventos que você possa ter em breve.

Isso não apenas facilitará a descoberta de seus locais para os usuários, como também permitirá que o Google atribua parte do patrimônio da sua loja de comércio eletrônico ao seu local físico.

Isso significa que os mecanismos de pesquisa têm maior probabilidade de mostrar a localização da sua empresa quando os clientes locais pesquisam seus produtos.

13. Promova seu conteúdo

As estratégias tradicionais de divulgação são frequentemente ignoradas pelos varejistas, mas servem como direcionadores de tráfego poderosos e táticas de criação de links que podem melhorar seu SEO de comércio eletrônico.

Se um blog, site ou influenciador confiável para seus clientes aprecia seu conteúdo, eles o compartilham com seu público, direcionando tráfego para sua página, aumentando seu alcance geral e criando um backlink valioso para suas páginas.

No ambiente de SEO de hoje, a qualidade do link supera a quantidade. Um link de um site confiável conta com mais do que qualquer número de links artificiais colocados em seções de comentários, fóruns ou sites relacionados de baixa qualidade.

Para criar links naturais e oficiais, você precisa criar algo que valha a pena vincular. Seja uma página infográfico, interativa ou pesquisa original, deve ser algo que envolva seus leitores.

Ao tornar seu conteúdo educacional e não promocional, os editores parceiros estarão mais abertos a apresentar seu conteúdo ao público deles.

Você precisa começar com um ótimo conteúdo antes que outras pessoas desejem vincular a ele.

14. Considere mudar para HTTPS

Nos últimos quatro anos, o Google fez um tremendo esforço público para incentivar a migração de domínios para proteger ambientes HTTPS.

A partir de julho de 2018, qualquer site que não use HTTPS em seu URL começou a ser marcado como “não seguro” no Chrome.

Os varejistas confiam na confiança do cliente para convertê-los. Se seus clientes não acham que seu site é seguro, eles não fornecem as informações do cartão de crédito ou outros indicadores pessoais.

Se você deseja continuar gerando tráfego orgânico e ajudar os clientes a confiar em sua marca, precisará de um ambiente HTTPS.

15. Limpe seu HTML

HTML é o código e outros elementos em sua página da web que informa ao navegador do cliente como exibir seu conteúdo.

O Google também usa HTML para entender o contexto do conteúdo e como ele é exibido para visitantes humanos.

Sem HTML, seus clientes veriam uma tela em branco ou pior, uma massa de texto ilegível.

Tags de título, meta descrições e cabeçalhos ajudam as pessoas a entender o que é a sua página e a encontrar rapidamente as informações mais relevantes para elas.

O Google usa suas informações HTML para entender a relevância do seu conteúdo.

De fato, o uso efetivo do HTML é um fator de classificação, pois quanto mais fácil o rastreador determinar o conteúdo do seu conteúdo, mais fácil é para os usuários.

Revise seu HTML para garantir que ele não esteja desatualizado, volumoso ou com mais danos do que benefícios.

Alguns cortes podem melhorar o SEO do seu comércio eletrônico e aumentar a velocidade geral do site.

Conclusão

Esperamos que estas dicas possam ajudá-lo a melhorar o SEO de seu Ecommerce e começar a aparecer na primeira página das pesquisas realizadas no Google.

Não se esqueça de conferir também como atrair mais clientes para seu negócio digital.

2020/02/11

Se gostou deste artigo, também pode gostar destes ...

Dicas para ecommerce, conversão e atendimento